Entrevista com Ren Zhengfei

21 de maio de 2019 com a mídia na China

2019.05.28

CCTV: Os Estados Unidos emitiu uma licença temporária para a Huawei. Em outras palavras, as restrições contra a Huawei podem ser retiradas nos próximos 90 dias. O que você acha dessa licença? O que você pode fazer nestes 90 dias? Se a notícia é verdadeira e os Estados Unidos cancelam as restrições impostas após 90 dias, o que você poderia nos dizer sobre essa mudança de opinião?

Ren Zhengfei: Em primeiro lugar, esses 90 dias não significam muito para nós e estamos prontos. O mais importante é fazermos bem o nosso trabalho. O que os Estados Unidos querem fazer está além do nosso controle. Gostaria de aproveitar esta oportunidade para expressar a minha gratidão às empresas americanas com as quais trabalhamos. Durante esses 30 anos, elas nos ajudaram a nos transformar naquilo que somos hoje. Elas contribuíram muito. Fomos ensinados a voltar para o jogo e continuar com a empresa. Como vocês sabem, a maioria das empresas que prestam serviços de consultoria à Huawei estão sediadas nos Estados Unidos, incluindo dezenas de empresas como a IBM e a Accenture.

Em segundo lugar, também recebemos apoio de um número significativo de fabricantes de componentes e peças ao longo dos anos. Diante desta nova crise, sinto que estas empresas mantêm um senso de justiça e amizade para conosco. Dois dias atrás, cerca de duas ou três da manhã, Eric Xu (um dos presidentes rotativos da Huawei) me chamou para me dizer o quanto nossos fornecedores tinham trabalhado para obter os nossos produtos prontos. Eu chorei. Um provérbio chinês diz que uma causa justa encontra muito apoio, enquanto uma injusta acha pouco. Hoje, algumas empresas americanas estão se comunicando com o governo dos EUA sobre a ratificação.

Os Estados Unidos adicionaram a Huawei à “Entity List”. Isto significa que se qualquer empresa americana quiser vender algo para a Huawei, precisará obter a aprovação do governo dos EUA.

Os Estados Unidos são uma nação onde a lei prevalece. As empresas americanas devem respeitar as leis e, também, a verdadeira economia. Então vocês, pessoas da mídia, não devem culpar as empresas americanas. Em vez disso, devem falar em seu nome. A culpa deveria cair em alguns políticos americanos. Eu não acho que devemos culpar indiscriminadamente sem saber se as pessoas certas estão sendo culpadas. Podemos acabar apontando para as pessoas erradas. A mídia deve entender que essas empresas americanas e Huawei compartilham o mesmo destino. Somos ambos jogadores na economia de mercado.

É provável que os políticos dos EUA tenham subestimado nossas forças. Eu não quero falar muito sobre isso porque a Sra. Tingbo, presidente da HiSilicon, deixou essas questões muito claras em suas cartas para os funcionários. E os principais jornais dentro e fora da China escreveram sobre esta carta.

People ́s Daily: Eu quero perguntar sobre os chips. Tenho notado que você disse em uma entrevista com a mídia japonesa, em 18 de maio, que a “Huawei não precisa de chips dos Estados Unidos. Não há problema com a Huawei”. Em uma carta para seus funcionários você mencionou que a Huawei tem pontos fortes e que se preparou. Posso perguntar onde estão esses pontos fortes e o que fizeram para se prepararem?

Primeiro de tudo, estamos sempre precisando de chips dos EUA. Nossos parceiros nos Estados Unidos estão terminando suas responsabilidades e pedindo a aprovação de Washington. Se essa aprovação for concedida, continuaremos a comprar chips desses fornecedores. Até venderemos chips para empresas americanas (para ajudar os Estados Unidos a fabricar produtos mais avançados). Não excluiremos nossos parceiros nos Estados Unidos e nem buscaremos crescimento sozinhos. Vamos crescer juntos.

Embora o fornecimento de nossos parceiros não seja suficiente, não teremos problemas. Isto porque podemos manufaturar todos os chips high-end nós mesmos. No "período de paz", adotamos uma política de "1 + 1": isto significa que metade de nossos chips veio de empresas americanas e a outra metade da Huawei. Apesar do preço muito mais baixo de nossos próprios chips, eu continuei comprando chips mais caros dos Estados Unidos. Não podemos ser isolados do mundo. Pelo contrário, devemos fazer parte.

Nossa estreita relação com as empresas americanas é o resultado de várias décadas de esforço em ambos os lados. Essas relações não serão destruídas por um pedaço de papel por parte do governo dos Estados Unidos. Enquanto essas empresas obtiverem a aprovação de Washington, continuaremos a comprá-las em grandes quantidades. Pode ser o caso de que eles não vão obter a aprovação rapidamente. Temos formas de lidar com este período de transição. E uma vez que a aprovação é um fato, continuaremos em nosso comércio regular com estas companhias americanas e trabalharemos junto para construir uma sociedade da informação para a humanidade. Não queremos trabalhar sozinhos.

Podemos fabricar chips tão bons quanto os fabricados por empresas americanas, mas isso não significa que não vamos comprar chips dos Estados Unidos.

Xinhua News Agency: Já foi mencionado que a Huawei não iria trabalhar de portas fechadas e que cooperaria com os outros. Agora você diz que a Huawei fará as duas coisas. Isso significa que o protecionismo dos Estados Unidos e o veto à Huawei estão basicamente interrompendo as cadeias de suprimentos globais e causando estragos no mercado? Os Estados Unidos têm acusado a Huawei de muitos atos como sua governança corporativa e financiamento. O que você acha que é o centro das críticas? Por que eles estão apontando para a Huawei?

Ren: Não posso ler mentes, portanto, não posso saber exatamente o que os políticos [americanos] estão pensando. Penso que nós não devemos ser o alvo de campanhas americanas apenas porque nós estamos na frente dos Estados Unidos.

Em termos de capacidade de rede, 5G é 20 vezes maior do que 4G e 10.000 vezes maior do que 2G. A quantidade de energia consumida por bit de nossa estação-base de 5G é 10 vezes menor que 4G e o tamanho é 70 % menor. Nossa estação-base de 5G é muito pequena, de fato, o mesmo tamanho de um portfólio. Também é muito leve - aproximadamente 20 quilogramas. Você não precisa construir uma torre de telefone celular para estações base 5G, porque elas podem ser instaladas em qualquer lugar - postes ou paredes. Eles podem trabalhar por décadas porque são feitos de material anticorrosivo. Isso significa que o nosso equipamento 5G pode ser instalado mesmo no subsolo, em sistemas de drenagem. É muito apropriado para os mercados europeus, onde há muitas áreas com edifícios históricos e é impossível construir torres de celular gigantes como na China. É claro que as torres que existem na China não estariam ociosas porque nossas estações 5G também podem ser instaladas lá - só que não precisamos construir novas torres.

Com as nossas estações 5G, os nossos clientes na Europa podem reduzir os seus custos de engenharia em 10.000 euros por site. Não precisarão usar guindastes para a instalação e não precisarão construir torres de telefone celular. No passado, nossos clientes tiveram que usar guindastes para instalar enormes peças de equipamento para a estação-base e as estradas em torno dele tiveram que ser fechadas durante o processo de instalação. Agora, podem facilmente instalar nossas estações 5G manualmente. É muito fácil.

A largura de banda 5G é muito alta - tão alta que pode suportar uma quantidade imensa de conteúdo de alta definição e facilmente transmitir vídeo em 8K. Dizem que o 5K reduzirá o custo 10 vezes e, na verdade, é em 100 vezes. Isto significa que as pessoas comuns podem assistir a programas de TV em alta definição e pode aprender muito com eles. A fim de desenvolver mais, cada país precisa confiar na cultura, filosofia e educação. Isto constitui a base do desenvolvimento nacional. É por isso que o nosso 5G mudará a nossa sociedade para melhor. Os tempos de espera em 5G são extremamente baixos, então o 5G será rapidamente adotado pela indústria para todos os propósitos.

Xinhua News Agency: Você acha que o mercado internacional foi alterado?

Ren: Não acredito. A Europa não seguirá os passos dos Estados Unidos e a maioria das empresas americanas estão em contato conosco.

Global Times: Você mencionou os impactos na Huawei. Esta carta da presidente da HiSilicon causou muita emoção na mídia. As pessoas na indústria de chipset adotam uma abordagem objetiva para a distância que existe entre empresas na China, nos Estados Unidos e em outros países em termos de chips e outros componentes. Qual é a posição dos produtos internos da Huawei e do P&D? A carta também mencionou que a Huawei pode garantir a continuidade na entrega. Essa afirmação é verdadeira? Existe um ponto crítico e onde está?

Ren: Eu acho que se você se sentir nervoso sobre algo, você deve começar tomando um banho frio. Na minha opinião, o mais importante é estar relaxado e ser sensato. Alterar e gritar slogans não é o caso se nossas capacidades não forem fortes. O importante é trabalhar muito para o sucesso.

Vale a pena aprender com as empresas americanas em termos de profundidade e abrangência em ciência e tecnologia. Estamos muito atrasados em muitos aspectos. Algumas pequenas empresas americanas estão fornecendo produtos muito avançados. Só nos concentramos no nosso negócio e nos tornamos líderes, mas não podemos ser comparados com os Estados Unidos como uma nação. No nível do negócio eu penso que a abertura entre Huawei e algumas companhias americanas é pequena. No entanto, a nível nacional, creio que existem enormes lacunas entre a China e os Estados Unidos.

As lacunas a nível nacional têm muito a ver com as bolhas econômicas que existem na China. Há bolhas em muitos setores, incluindo o empréstimo entre indivíduos, a Internet, finanças e imóveis. Há também imitações de produtos que são outras bolhas. Como resultado, as bolhas também estão aparecendo na Academia. O desenvolvimento da teoria fundamental leva várias décadas. Se os estudiosos estão mais focados em gritar slogans do que no desenvolvimento de teorias sólidas, então o nosso país não vai se tornar mais forte nas décadas que virão. Devemos manter os pés no chão e concentrar-nos no nosso trabalho.

The Paper: Minha pergunta é sobre chips. A carta da Sra. He Tingbo, presidente da HiSilicon, foi muito inspiradora. Os registros mostram que a HiSilicon foi fundada em 2004. Depois de tantos anos de esforço, você pode produzir seus próprios chips para muitos propósitos. Como eles fizeram o plano de chip em primeiro lugar? Como você ou a Huawei decidiram fabricar seus próprios chips? A Sra. He Tingbo disse que a Huawei começou a se planejar para condições mais extremas há muitos anos. Durante uma entrevista, dois dias atrás, você disse que a Huawei não precisava mais dos chips americanos. Você pode nos contar mais sobre o processo de planejamento? Os resultados atuais correspondem ao que foi planejado? Até que ponto eles podem atender seus clientes se as empresas dos EUA pararem de fornecer chips para você?

Ren: No início do ano 2.000, duvidamos e questionamos se seria possível para a Huawei usar um chapéu de cowboy americano. Então decidimos vender a Huawei para uma empresa dos EUA por aproximadamente 10 bilhões de dólares. Um contrato foi assinado com esta empresa e todos os procedimentos necessários foram concluídos. O acordo estava pronto para se materializar uma vez que foi aprovado pela diretiva da empresa dos EUA. Enquanto esperávamos pela aprovação, a equipe de negociação me incluiu, nós vestimos camisas floridas e jogamos pingue-pongue na praia.

Enquanto esperávamos, o Conselho de Administração da empresa dos Estados Unidos foi reeleito. Seu novo Conselho de Administração teve uma visão de curto prazo e rejeitou a aquisição. Se eles nos tivessem comprado, teríamos conseguido colocar o chapéu de cowboy e desafiaríamos a qualquer um. Depois que esse acordo falhou, nossos executivos seniores da Huawei ficaram imaginando se deveriam vender a Huawei para outra pessoa. Todos os jovens executivos disseram em uníssono: não. Eu não podia recusá-los, então eu comentei: “Precisamos nos preparar”. Desde então, consideramos a questão do que acontecerá quando chegarmos aos Estados Unidos no topo e nos prepararmos para isso. Dito isto, vamos nos abraçar porque queremos trabalhar em conjunto com eles e fazer contribuições para a sociedade.

The Paper: Outros executivos da Huawei disseram que a Huawei é capaz de continuar atendendo seus clientes. Os Estados Unidos vão vetar seus melhores clientes e empresas? Como ele responderia?

Ren: Certamente poderemos continuar a servir os nossos clientes. Nossa capacidade de produção em massa é enorme, e colocar a Huawei na “Entity List” não terá um grande impacto sobre nós. Estamos progredindo com nossas licitações globais.

Nosso crescimento reduzirá sua velocidade, mas não tanto quanto se imagina. No primeiro trimestre deste ano, nossas vendas cresceram 39% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esta taxa de crescimento diminuiu para 25% em abril, e pode continuar a declinar até o final deste ano. Mas o veto nos Estados Unidos não levará a uma diminuição ou prejudicar o crescimento da nossa indústria.

Science and Technology Daily: Se os Estados Unidos cortarem a cadeia de suprimentos, como a indústria será afetada? Dois dias atrás, vi que Fang Zhouzi (uma celebridade da Internet) tuitou "Se o estepe estiver bom, por que não usá-lo antes de uma explosão?" Qual a sua opinião sobre isso?

Ren: Se usarmos pneus sobressalentes em todos os nossos produtos, isso significa que estamos procurando a chamada "inovação independente". O principal objetivo da inovação independente é se tornar um ator dominante. Mas queremos ter parceiros em todo o mundo. Por essa razão, sua ideia de usar o pneu sobressalente antes de uma explosão não está em nossas mentes. Ele não entende nosso pensamento estratégico. Nós não queremos machucar nossos colegas. Queremos ajudá-lo a ter demonstrações financeiras sólidas, mesmo que isso signifique fazer ajustes.

Como mencionei, não pretendemos parar de usar os componentes das empresas americanas, mas não lhes dissemos sobre isso. Esperamos que as empresas americanas possam continuar a ser nossos fornecedores, para que possamos servir a humanidade como um todo. Anteriormente, compartilhamos informações sobre nosso desenvolvimento de chips com nossos fornecedores. Nós até compartilhamos nossos resultados de pesquisa com eles. Terceirizar a produção para os nossos fornecedores. É por isso que os vendedores são tão gentis conosco. Novamente, para responder à pergunta "Se o estepe é bom, por que não usá-lo antes de uma explosão?", os pneus de reposição são reforços. Por que devemos usá-los antes que nossos pneus atuais explodam?

Science and Technology Daily: Como a indústria será afetada se os Estados Unidos cortarem a cadeia de suprimentos?

Ren: Nossa empresa não vai acabar com uma escassez extrema de oferta. Nos preparamos bem. No início deste ano, previ que algo assim aconteceria dois anos depois, e que os Estados Unidos não agiriam antes que a ação contra nós fosse resolvida no tribunal. Tínhamos certeza que eles agiriam contra nós, independentemente do resultado. Pensávamos que teríamos dois anos para fazer os preparativos. Mas quando Meng Wanzhou foi presa, tudo ficou claro.

Você pode saber que também estávamos trabalhando durante os últimos feriados do Festival da Primavera e que eu fiz visitas aos nossos funcionários que trabalhavam durante as férias. Somente na China, 5.000 funcionários de serviço, como seguranças, pessoal de limpeza e funcionários de refeitórios, ficaram para trás para servir nossos "combatentes". Eles receberam salários acima do normal. A empresa pagou o dobro pela comida dos fornecedores e pagou pessoal de serviço adicional. Muitos de nossos funcionários nem foram para casa durante o Festival da Primavera. Para economizar tempo no trabalho, eles fizeram camas improvisadas no chão para tirar uma soneca à tarde. Também durante as férias do Dia de Maio, muitos dos nossos funcionários decidiram ficar aqui.

NetEase: Falando do Plano B, quanto a Huawei investiu neste plano ao longo dos anos? Se o Plano B não for utilizado, a Huawei continuará investindo no plano?

Ren: Nós investimos tanto que eu não posso dar uma figura específica. Para o Plano A e Plano B, o orçamento e a contagem foram atribuídos juntos. Anteriormente, o Plano A recebia a maior parte do orçamento, mas agora a maior parte do orçamento será atribuída ao Plano B. Não sei exatamente quanto é o orçamento. Cada relatório que recebo tem várias páginas. E, em vez de fazer perguntas sobre cada componente, faço apenas uma revisão geral. Fazer um plano é apenas um passo. Temos que identificar as principais fases de cada componente. Então estamos nos preparando pouco a pouco. Caso contrário, não teríamos contratado entre 80.000 e 90.000 engenheiros de P&D.

Financial Weekly: Depois que o controle de exportação dos EUA entrar em vigor, espera-se que os fornecedores da Huawei no Japão, na Europa e em Taiwan o ajudem bastante. Se esse controle de exportação falhar, você acha que o governo dos EUA pressionará empresas como a TSMC? A Huawei pode produzir seus próprios chips, mas não possui as capacidades de toda a cadeia de valor.

Ren: Se mais empresas se recusarem a sucumbir à pressão, haverá mais. Não se preocupe muito com isso. Afinal, isso não está acontecendo.

Financial Weekly: Considerando a recente ação do Google, os usuários na Europa estão muito preocupados que os telefones Huawei não possam usar o mais recente sistema Android no futuro. Qual a sua opinião sobre isso?

Ren: O Google é uma boa companhia, uma empresa altamente responsável. Eles também estão tentando convencer o governo dos EUA a resolver esse problema. Estamos agora discutindo soluções viáveis para isso, e nossos especialistas ainda estão trabalhando nisso. Então eu não posso te dar uma resposta detalhada hoje.

qq.com: Quanto tempo durará esta situação difícil? Será este um ponto de inflexão no desenvolvimento da Huawei?

Ren: Você está perguntando à pessoa errada; você deveria perguntar ao presidente Trump esta questão. Eu acho que há dois lados nisso. Naturalmente, seremos afetados, mas também inspirará a China a desenvolver sua indústria eletrônica de maneira sistemática e pragmática. No passado, a China investiu muito dinheiro no desenvolvimento do setor, mas descobriu-se que essa abordagem não funcionava. Para construir pontes, estradas e casas, pode ser verdade que só precisamos investir dinheiro, mas para desenvolver chips, só o dinheiro não é suficiente. Precisamos de cientistas, físicos e químicos também. Quantas pessoas estão realmente estudando muito? Quantos documentos de doutorado fornecem ideias verdadeiras? Sob tais condições, é muito difícil para a China conseguir confiar em sua própria inovação, então por que não adotar uma abordagem transnacional à inovação? Podemos estabelecer centros de inovação em muitos países. Podemos estabelecer centros de pesquisa em qualquer local que tenha os recursos de que precisamos.

Muito talento retornou à China, o que é muito importante. Mas o imposto de renda pessoal da China é relativamente alto. Se pessoas talentosas retornassem para a China vindas do exterior, teriam que pagar muitos impostos.

A primeira grande mudança de talento no mundo ocorreu com a transferência de três milhões de judeus da União Soviética para Israel. Israel então se tornou um centro científico e tecnológico. O segundo turno está em andamento. Os Estados Unidos não estão abertos a países estrangeiros e muitos talentos não podem participar em investigações confidenciais. Um meio de comunicação conhecido nos Estados Unidos escreveu um artigo que fez uma pergunta: "Se a China inventou uma droga contra o câncer, representaria uma ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos?” Um centro de câncer dos EUA demitiu três cientistas chineses, razão pela qual o jornalista fez esta pergunta.

Como resultado, muitos cientistas perderam a confiança de trabalhar nos Estados Unidos. Por que não aproveitar esta oportunidade para recebê-los de volta à China? Mas eles podem perguntar: "Como? Na China é difícil para nossas crianças se matricularem em escolas, não podemos comprar carros porque não temos Hukou, e temos que pagar altos impostos". Precisamos ajustar nossas políticas para atrair talentos de todo o mundo. Há 200 anos, os Estados Unidos eram apenas uma terra árida de nativos americanos. Foram as políticas certas que fizeram dos Estados Unidos o líder global que é hoje. A civilização chinesa tem 5.000 anos de idade. Com uma base tão sólida, precisamos criar políticas favoráveis ​​para atrair talentos de todo o mundo para iniciar negócios na China.

Os países do Leste Europeu estão relativamente pouco desenvolvidos, mas muitos líderes, cientistas e financiadores nos Estados Unidos são da Europa Oriental. Por que não saudamos o talento desses países para a China ou estabelecemos centros de pesquisa nesses países? Podemos estabelecer instalações de pesquisa teórica com a China como o centro para lutar contra as restrições dos EUA. Se nos ativermos ao nosso foco atual, será difícil ter sucesso. A China é fraca em teorias básicas, embora tenha visto algum progresso nos últimos anos.

Enfatizei a importância da matemática na conferência nacional de ciência, e ouvi dizer que os formandos que se especializam em matemática agora podem encontrar emprego mais facilmente do que no passado. Quantos de nós estão dispostos a estudar matemática? Eu não me especializei em matemática. Uma vez, disse que queria encontrar uma boa universidade para estudar matemática depois que me aposentasse. O presidente de uma universidade me perguntou por quê. Eu respondi que queria estudar a Segunda Lei da Termodinâmica. Então ele perguntou por que novamente. Eu disse que queria estudar a origem do universo. Ele disse que me receberia como estudante. Eu não me aposentei ainda, então eu não consigo ir. Quando eu era estudante de engenharia, estudava matemática superior, que lida com os conceitos básicos de matemática. A China deve permanecer pragmática e trabalhar mais para fazer mudanças em matemática, física, química, neurologia, ciências do cérebro e muitas outras disciplinas. Só então podemos garantir uma posição neste mundo.

A filosofia da China até hoje é essencialmente metafísica. Embora alguns tenham adotado o budismo, todos os textos estão em sânscrito e não foram traduzidos para o chinês. O Ocidente promoveu a metafísica e o materialismo mecânico, dando origem a disciplinas como física, química, matemática e geometria. É por isso que eles têm indústria avançada. Com base em sua forte indústria, eles construíram nações industrializadas e lideraram o mundo inteiro.

Não quero dizer que a metafísica seja inútil, embora se concentre em coisas virtuais que não existem no mundo real. A indústria de jogos está se desenvolvendo rapidamente na China. Muitos dos nossos modos de produção podem ser virtualizados. Cerca de 50% dos cientistas de Inteligência Artificial são chineses e, se não forem bem-vindos em outros países, devemos recebê-los aqui na China. Então, eles podem trabalhar em plataformas na camada inferior, fornecendo-nos uma base sólida.

Eu acho que se pudermos atrair talentos excepcionais, será bom para a nossa reforma. Se continuarmos a enfatizar a inovação independente, acho que estaríamos perdendo nosso valioso tempo.

National Business Daily: O Hongmeng OS foi usado em pequena escala dentro da Huawei?

Ren: Me desculpe, eu não posso responder a esta pergunta hoje. Podemos criar nosso próprio sistema operacional, mas isso não significa necessariamente que ele substituirá outros sistemas operacionais. Precisamos usar sistemas operacionais para o nosso trabalho em inteligência artificial e na Internet das Coisas, mas não estou claro quais são usados e quais não são. Então eu realmente não posso responder sua pergunta ainda.

National Business Daily: Muitos artigos nos dias de hoje relatam sobre "choques da Huawei", isto é, como a Huawei tem impactado o mundo inteiro.

Ren: Nossa equipe não é sensível a esses relatórios. Nenhum de nós ficou surpreso, porque eles não são nada de especial para nós. Artigos on-line muitas vezes exageram muito. Por exemplo, foi relatado online que a Infineon parou de ser nossa fornecedora. Nada disso aconteceu. Foi uma história inventada. Se você realmente quer saber o que está acontecendo com a gente, você pode visitar nossa comunidade Xinsheng. Lá nós não banimos as contas, mesmo que as pessoas critiquem a empresa. Na verdade, o departamento de recursos humanos analisa como as pessoas nos criticam. Se alguém fornecer uma crítica particularmente construtiva, o departamento analisará seu desempenho nos últimos três anos. Se tiverem alto desempenho, serão transferidos para a Secretaria para ajudar em alguns problemas específicos. Depois de receber treinamento por meio ano em nossa "Sede do Estado Maior", eles serão enviados para outros departamentos. Essas pessoas têm um grande potencial para eventualmente se tornarem líderes. Pelo contrário, cantar cegamente nossos elogios online pode nos tornar complacentes, porque não é nada mais do que uma conversa vazia. Quando as pessoas postarem críticas específicas em nossa comunidade de Xinsheng, analisaremos a situação de acordo. Sem autocrítica, hoje não sobreviveríamos.

Caijing: Eu quero fazer uma pergunta sobre o Plano B da Huawei, com o qual muitas pessoas se preocupam. Dez anos atrás, começou a existir uma sensibilidade às crises e a falar-secomo as situações internacionais afetariam a Huawei.

Ren: Todos os meus discursos sobre o Plano B publicados pelo Escritório Executivo da Huawei estão disponíveis ao público. Não me lembro exatamente quando comecei a falar sobre isso, mas mencionei repetidamente nosso Plano B. As pessoas simplesmente não prestaram muita atenção até o recente ataque dos EUA à Huawei.

Caijing: Nos últimos anos, ele mostrou grande sensibilidade às crises, fez preparações tanto em nível macro quanto micro, ou seja, tanto na estratégia quanto em como garantir a continuidade dos negócios. Quando o que você imaginou se torna uma realidade e os ataques contra a Huawei se tornam mais sérios do que você pensava antes, você tem alguma nova ideia? Temos visto muitos artigos que falam sobre como os atritos comerciais entre a China e os Estados Unidos afetam a Huawei. Quando o desafio realmente chega, você tem alguma nova ideia?

Ren: A continuidade de negócios tem a ver com o nosso plano B ou com o nosso plano de "estepe". Os “pneus sobressalentes” garantem que, quando os carros quebrarem, eles possam continuar a trabalhar depois que os pneus forem substituídos. Nós asseguramos nossa continuidade de negócios passo a passo. De fato, muitas das peças que usamos em nossos produtos foram colocadas em produção. Apesar disso, estamos abertos a partes externas à empresa. Metade das nossas peças são produzidas por outras empresas. Uma vez eu disse em um artigo que deveríamos comprar pelo menos 50 milhões de chipsets da Qualcomm a cada ano. É por isso que nunca excluímos ou resistimos a empresas estrangeiras.

O “pneu sobressalente” é agora um conceito da moda. Na verdade, é uma prática bastante normal em nossa empresa. O Tingbo tornou-se famoso por sua carta sobre o Plano B. Ele publicou a carta apenas durante à noite, quando os Estados Unidos emitiram a proibição da Huawei. Eu simplesmente não aguentava mais. Ele se sentiu mal. Sua equipe tem trabalhado muito duro, mas eles simplesmente não conseguiam manter a cabeça erguida.

Science and Technology Daily: Você mencionou que o desenvolvimento de chips requer não só dinheiro, mas também física e matemática. Como empresa, tanto a Huawei quanto você pessoalmente falaram repetidamente sobre educação básica e pesquisa básica, e sabemos também que a Huawei se concentra nessa área em alguns de seus anúncios. Quais ações específicas a Huawei está adotando na educação básica e pesquisa básica? Que tipo de suporte isso fornecerá para o desenvolvimento futuro da Huawei?

Ren: Em primeiro lugar, temos 26 centros de experiência para P&D em todo o mundo. Atualmente, temos mais de 700 matemáticos, 800 físicos e 120 químicos trabalhando na Huawei. Temos um Instituto de pesquisa estratégica, que fornece uma grande quantidade de fundos para professores reconhecidos nas melhores universidades do mundo. Nós não esperamos retorno sobre este investimento. A forma como patrocinamos a pesquisa é semelhante a como o investimento funciona de acordo com a lei Bayh-Dole dos Estados Unidos. São as universidades que se beneficiam do investimento. Ao fazê-lo, trabalharemos com mais cientistas que investigam tecnologias em diferentes estágios.

Considera-se que as normas do 5G têm um grande impacto na sociedade. Poucas pessoas imaginariam que elas se originaram em um artigo de matemática escrito pelo professor turco Erdal Arikan há mais de uma década. Descobrimos este artigo dois meses após a sua publicação. Então, começamos a investigar, realizar análises e solicitar patentes com base neste documento. Milhares de funcionários da Huawei participaram desta investigação. Levamos uma década para converter o papel matemático em tecnologias e padrões. Temos as patentes 5G mais essenciais do mundo, aproximadamente 27% do total.

O professor Arikan não é funcionário da Huawei, mas nós patrocinamos seu laboratório para que possa contratar mais estudantes de doutorado, aos quais também apoiamos. Também patrocinamos um professor universitário no Japão. Certa vez, ele teve quatro estudantes de doutorado, que mais tarde se juntaram à Huawei, mas continuaram a trabalhar em seu escritório. Ele então recrutou mais quatro estudantes de doutorado para trabalhar para ele, então os oito que trabalhavam para ele ao mesmo tempo. Todos esses papéis pertencem a eles, não a nós. Se precisarmos usar seus resultados acadêmicos, devemos pagá-los. Essa abordagem é semelhante à Lei Bayh-Dole dos Estados Unidos. Usamos essa abordagem para trabalhar com mais cientistas.

Tivemos uma conferência científica mundial na semana passada e participei da conferência remotamente por meio de um vídeo. Vários jovens cientistas brilhantes, todos detentores de PhD, participaram da conferência e me apresentaram a tecnologia. Eles me explicaram o que cada um desses documentos significaria para a sociedade no futuro. Nós constantemente temos esse tipo de comunicação em todo o mundo. Isso nos permite absorver novas ideias e, também, ajuda a entender nossos requisitos. Desta forma, somos capazes de nos informar constantemente uns aos outros.

Quando se trata de ganhar talento, as empresas ocidentais têm mais visão do que nós. Eles identificam talentos e os recrutam para trabalhar como estagiários, proporcionando-lhes treinamento dedicado durante o estágio. Isso é diferente do método tradicional de procura de emprego seguido por graduados na China.

Agora temos mais oportunidades de competir com empresas americanas em termos de recrutamento, mas não somos fortes o suficiente para atrair talentos. Oferecemos ofertas de emprego para alguns alunos excelentes e muito talentosos desde o segundo ano de universidade. Por exemplo, os alunos da Universidade Estadual de Novosibirsk foram campeões ou vice-campeões no Concurso Internacional de Programação Colegiada por seis anos consecutivos. O Google pagou salários cinco ou seis vezes mais que o normal para usá-los. A partir deste ano, pagaremos ainda mais do que o Google para atrair talento para trabalhar com inovação na Rússia. Vamos nos juntar à competição por talentos.

Nós não exigimos que os cientistas sempre tenham sucesso. Falhas também são uma forma de sucesso, porque elas desenvolvem talentos. Desta forma, somos capazes de nos movimentar constantemente.

Sina: Você está falando de mais investimentos em matemática e disciplinas básicas. E quanto ao nível de investimento da Huawei no mundo? O que o fez reconhecer a importância das disciplinas básicas? Quais são seus objetivos e expectativas para investimentos futuros?

Ren: Vejamos um exemplo. A câmera do smartphone Huawei P30 é um reflexo de como a matemática pode ser aplicada na prática. As fotos não são simplesmente captadas, mas calculadas através da matemática. Os olhos humanos são equivalentes a cerca de 100 milhões de lentes, mas uma câmera tem só uma lente. Nosso smartphone pode usar cálculos para dividir a imagem capturada por sensores de luz em uma única lente em dezenas de milhões de lentes visuais, e, em seguida, reproduzir a imagem.

Os matemáticos de nossa empresa têm um slogan: fazer smartphones que excedam os olhos humanos. Uma vez que eu critiquei essa ideia em um discurso interno. Eu acho desnecessário. No entanto, eles são teimosos e não podem mudar de ideia. Eles dizem que os nossos smartphones podem capturar uma imagem da lua e ver milhares de quilômetros de distância. Isso pode ser verdade, porque a matemática pode ajudar a restaurar sinais de luz fraca.

Quando visitei nossos matemáticos em nosso centro de pesquisa em Nice, na França, eu disse: "O mar e o céu de Nice são azuis. Porue as formações desenvolvidas pelos nossos matemáticos também são baseadas na cor azul. Anteriormente, as imagens captadas pelos nossos smartphones eram azuis, mas agora parece que isso foi corrigido.

Nossos "pneus sobressalentes" estratégicos contribuíram para o rápido desenvolvimento de nossos smartphones. Alguns "pneus sobressalentes" estratégicos desenvolvidos para o nosso negócio de rede não foram usados nessa área e foram transferidos para o negócio de consumo. O negócio de consumo beneficiou-se enormemente desses recursos e pode atualizar seus produtos a cada três meses. A maioria das contribuições vem de matemáticos. Os físicos também contribuíram para o desenvolvimento de sensores tricromáticos.

Portanto, é impossível desenvolver negócios na indústria de eletrônicos se ainda dependem de componentes fabricados por terceiros. Existem também realizações matemáticas em componentes de outros fornecedores, mas eles precisam pagar mais dinheiro para obter acesso ao que eles desenvolveram. Acho que devemos nos esforçar para ser o líder mundial nesta área.

Q16 Huanqiu.com: Por um período, os Estados Unidos vêm atacando a Huawei e instaram seus aliados europeus a pressionar ou mesmo bloquear a Huawei. Se os Estados Unidos continuarem a pressionar seus aliados europeus para fechar seus mercados à Huawei, visitarão o Downing Street ou o Palácio do Eliseu pessoalmente para persuadi-los a abrir suas portas para a Huawei por meio de métodos mais diretos e eficazes?

Ren: Eu costumava tomar chá da tarde no número 10 da Downing Street. Eles me perguntaram como eu aprendi a acompanhar o resto do mundo e eu disse que era com o chá da tarde. Portanto, eles me receberam com o chá da tarde na Downing Street. Estamos em contato com líderes de diferentes países. Cada país tem seus próprios interesses. A campanha dos EUA não será poderosa o suficiente para chamar todos para segui-los.

ifeng.com: Tenho acompanhado de perto o que os fabricantes de telefones podem fazer para apoiar a acessibilidade para pessoas com deficiências desde o ano passado, porque o progresso tecnológico desempenha um papel muito importante em ajudar essas pessoas. A Huawei é uma empresa com grandes aspirações. O Dia Mundial da Conscientização sobre Acessibilidade deste ano foi realizado em 16 de maio. Como empresa líder em tecnologia, o que a Huawei fez para promover a acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiências? Qual é o seu plano nessa área?

Ren: Durante uma de minhas viagens ao Japão, experimentei um par de óculos especiais fabricados por nossa empresa que me permitiram ver claramente os funcionários que trabalham a milhares de quilômetros de distância e poderiam fornecer orientação e instruções. Com essas lentes, pude ver todos os desenhos e saber imediatamente se algo que eu estava olhando estava correto ou não.

Em teoria, acho que podemos apoiar pessoas com deficiência no futuro. Eu não sei exatamente o progresso que fizemos nessa frente. Vou pedir a alguém para provar isso, mas acho que, em teoria, podemos estimular os sentidos das pessoas através dos nervos cranianos.

Os óculos sem fio que acabei de mencionar permitiram que eu visse o trabalho de engenharia que nossos funcionários estavam fazendo a milhares de quilômetros de distância. Nossos cientistas me mostraram esse novo produto. Mas não foi lançado no mercado.

China Business Journal: Eu tenho duas perguntas. Primeiro, os negócios de Consumer agora respondem pela maior parte das receitas da Huawei, seguidos pelos negócios Carrier Networks e Enterprise. Que proporções você acha que esses três negócios receberão as receitas da Huawei em cinco ou dez anos? Em segundo lugar, na situação atual, como você definiria o papel futuro do HiSilicon na Huawei?

Ren: O papel da HiSilicon é uma equipe de suporte para a Huawei, que avança em conjunto com a equipe operacional da empresa. Pode ser comparado a um caminhão de combustível, um guindaste ou um médico de campo que se move junto com a operação central.

Em relação aos nossos três grupos de negócios, não consideramos que o mais lucrativo seja o mais importante. Somente o departamento responsável pela criação de conexões de rede pode se tornar o número um no mundo. É o mesmo departamento que foi atacado pelos Estados Unidos. Eu comparei a uma aeronave muito danificada. Na verdade, percebemos que esse departamento não enfrenta tantas dificuldades quanto os outros, porque está se preparando há muito tempo. Nossas tecnologias 5G, de transmissão óptica e de rede principal estão livres da pressão que está sendo exercida neste departamento, e essas tecnologias serão as líderes mundiais por muitos anos.

China Business News: A ordem de montagem do HiSilicon tornou-se viral on-line recentemente. Esta unidade tem contratado pessoas de todo o mundo. Quando uma unidade independente retornará no futuro?

Ren: A resposta nunca é. HiSilicon é uma equipe de suporte para a equipe de operações da Huawei e nunca se tornará uma unidade independente. Como acabo de descrever, para nossa operação principal é como um caminhão a gasolina, um guindaste ou um médico de campo. Nosso departamento de operações é responsável por construir nossas conexões de rede. Pode não necessariamente gerar as maiores receitas para a nossa empresa no futuro, mas é o terreno estratégico importante. Os Estados Unidos tomaram medidas administrativas contra a Huawei porque não poderiam tirar proveito do importante terreno estratégico. Nós nunca vamos desistir deste terreno estratégico apenas para ganhar mais dinheiro. O HiSilicon nunca fará parte da nossa equipe operacional ou roubará a câmera da Huawei.

China Business News: Sabemos que a Huawei foi preparada em termos de gerenciamento de continuidade de negócios, mas um servidor ou estação base contém muitas peças e componentes. Por que você está tão otimista?

Ren: Vamos fazer uma lista dos problemas que enfrentamos e resolvê-los um por um.

CCTV: Temos a impressão de que o Sr. Ren tem um alto senso de crise mesmo em tempos de paz. Por exemplo, a Huawei começou a ter um plano B para chips há mais de uma década. Estou muito curioso sobre como você chegou a ter esse forte sentimento de crise desde o começo?

Ren: Você desenvolveria essa sensação de crise se tivesse sido atingido por outros muitas vezes.

36KR: Em suas respostas a muitas perguntas, você disse que a Huawei tem um plano B e que você se sente otimista sobre a situação atual. Qual é a sua maior preocupação neste momento? Este evento afetou os membros da sua família. As trocas diárias com sua família influenciaram sua tomada de decisão?

Ren: Eles detiveram a minha filha, tentando abalar a minha vontade, mas o encorajamento da minha família a fortaleceu. Na carta que minha filha escreveu para mim, ela me disse que estaria mentalmente preparada para o longo prazo. Ela é muito otimista. Isso me tranquilizou muito e reduziu a pressão que sinto. Eu preciso ir além de mim, da minha família e da Huawei, para poder pensar em questões mundiais. Caso contrário, eu não poderia permanecer objetivo.

A imprensa internacional foi muito sincera quando falou comigo. Nosso departamento de Relações Públicas publicou as transcrições completas dessas entrevistas. Vou entregar a você hoje. Por que estamos falando tão frequentemente? Se tivéssemos uma visão estreita, estaríamos do lado oposto à mídia ocidental e a vocês mesmos. No entanto, devo evitar a influência de minhas próprias opiniões, de tal forma que possamos discutir questões de maneira equitativa.

A maioria dos executivos da Huawei não considera problemas com base em seus interesses pessoais ou na empresa. Somos uma empresa global e temos muitos amigos que nos aceitam e apoiam em todo o mundo.

CCTV: Você acha que a situação em que você está atualmente é acidental ou será a nova norma para as empresas chinesas no futuro?

Ren: Eu nunca passei muito tempo estudando questões sociais específicas na China. Eu passo a maior parte do tempo pesquisando os problemas internos da empresa. Também estou interessado em tecnologias em todo o mundo, relevantes para o nosso negócio. Isso me ajuda a identificar quais erros de estratégia nós podemos ter cometido. Eu realmente não tenho um bom relacionamento com minha família. Passo muito pouco tempo com meus filhos e minha esposa, uma vez que já me acusaram de me preocupar apenas com minha empresa e não com eles. Se eu também me preocupasse com questões sociais, eu provavelmente acabaria perdendo minha família. Por essa razão, não estou em condições de comentar sobre questões sociais e não tenho energia extra para estudar outras empresas chinesas.

People’s Daily: O Google suspendeu alguns negócios com a Huawei. Para responder isso, a Huawei fez algumas declarações para a mídia. Eu gostaria de saber como a Huawei será afetada em termos do sistema operacional Android.

Ren: Haverá alguns impactos. O Google é uma ótima empresa e estamos juntos procurando soluções e discutindo possíveis soluções.

The Paper: Você pode resumir o desenvolvimento de CBG nos últimos anos?

Ren: Quando reconhecemos um departamento, não devemos simplesmente elogiá-lo. Devemos corrigir seus erros e lidar com eles na direção certa. Nós fazemos muita reflexão interna. Às vezes, membros do Comitê Executivo do Conselho de Diretores discutem, mas acabam chegando a um acordo.

KR: No que diz respeito ao sistema operacional, qual é a área responsável por ele? Eles abrirão o código-fonte para atrair desenvolvedores?

Ren: Eu não posso dizer com certeza qual área é responsável por isso. Vamos tentar nossa experiência nisso. Não é tecnicamente difícil desenvolver um sistema operacional. O que é difícil é construir um ecossistema. Este é um grande problema e devemos ter calma.

Sobre Huawei
A Huawei é líder global em soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e uma das 100 marcas mais valiosas do mundo de acordo com a Forbes. A companhia tem a visão de enriquecer a vida das pessoas por meio da comunicação e é dedicada à inovação centrada no cliente. Com sólidas parcerias com a indústria local, a Huawei está comprometida com a criação de valor para operadoras de telecomunicações, empresas e consumidores, oferecendo produtos e soluções de alta qualidade e inovação em mais de 170 países e territórios. Com mais de 180 mil funcionários em todo o mundo, a empresa atende mais de um terço da população mundial. Há mais de 20 anos no Brasil, a Huawei é líder no mercado nacional de banda larga fixa e móvel por meio das parcerias estabelecidas com as principais operadoras de telecomunicações e possui escritórios nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Recife, além de um centro de distribuição em Sorocaba (SP) e um Centro de Treinamento em São Paulo.

Para mais informações, visite a Huawei online em www.huawei.com ou siga-nos:
Facebook 
Twitter 
Instagram
LinkedIN 
YouTube

Contatos para a imprensa:
Huawei 
priscilla.staell@huawei.com
Priscilla Staell - (11) 3930-8030

Huawei | Jeffrey Group
huawei@jeffreygroup.com 
Victor Francisco – (11) 3185-0891
Camila Forte – (11) 3185-0889
Heloísa Morato – (11) 3185-0841
Daniela Teixeira – (11) 3185-0826
Daniela Giuntini – (11) 3185-0896