Intercâmbio estudantil da Huawei capacita futuros talentos para o mundo conectado

2019.07.05

São Paulo, 4 de julho, 2019 – Impulsionar o mundo para que fique totalmente conectado e inteligente não é apenas uma questão de investimento em Pesquisa e Desenvolvimento, como os mais de US$ 15 bilhões por ano investidos pela Huawei no fomento ao setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). É preciso também incentivar a futura geração, com o objetivo de estimular novas ideias, serviços, produtos e soluções digitais. Pensando nisso, a Huawei criou o programa Seeds for the Future, que tem como objetivo desenvolver talentos locais, acelerar o intercâmbio de conhecimento, promover o interesse dos jovens no setor TIC e encorajá-los na construção e participação das comunidades digitais mundo afora.

Pelo Seeds for the Future, alunos universitários de destaque de todo o mundo vão para a China por um período de 15 dias, e muita troca de conhecimento. Este ano, coube ao Brasil ser representado por dez estudantes, selecionados a dedo, entre outros tantos de todos os estados do país. Mas os que mais se destacaram por seus desempenhos em sala de aula e notas, são:  João Marco de Paula (Recife-PE), Davi Carlos da Silva (Curitiba-PR), Letícia de Oliveira Silva (São Paulo-SP), Fernando Lucas Garzoni (Cuiabá-MT), Yargo Tessaro (São Bernardo-SP), Paloma Rodrigues Rocha (Embu-SP), Arthur Fender Bucker (São Paulo-SP), João Pedro Tambasco Calazans (Volta Redonda-RJ), Moisés Machado Bitencourt (Pouso Alegre-MG) e Rodolfo Ávila de Carvalho (Palmas-TO).

Yao Wei, presidente da Huawei no Brasil, acredita que a capacitação da mão de obra para o setor TIC do Brasil, é um investimento importante da empresa no país. “A ideia do projeto é impulsionar o mercado e desenvolver projetos inteligentes por meio da educação de jovens talentos que estão ingressando no setor. O profissional do futuro precisa ser multidisciplinar, multicultural e ter capacidade de adaptação rápida, características trabalhadas pelo Seeds for the Future. Não é à toa que o nome escolhido para o programa é Semente para o amanhã”, explica.

Parceiros na construção de um mundo totalmente conectado e inteligente

A seleção anual dos participantes é feita pela Huawei em colaboração com universidades e instituições brasileiras parceiras, como o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), a Universidade do Norte do Paraná (Unopar), a Universidade de Brasília (UnB), a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), a Universidade de São Paulo (USP) e a Kroton Educacional. Cada instituição de ensino tem seu próprio critério de seleção dos estudantes e, algumas delas, promoveram, por exemplo, competições como o Hackaton para chegar aos indicados. O programa Seeds for the Future já capacitou mais de 20 mil estudantes, de 96 países. No Brasil, cerca de 100 alunos já participaram do programa desde que foi lançado em 2015, em cooperação com o Ministério da Educação.

“É uma oportunidade que vai abrir as portas do mundo para esses jovens. Além de todo o conhecimento técnico, eles terão a chance de conhecer outra cultura, outra língua, ter contato com universidades chinesas etc. Tenho certeza de que sairão dessa experiência muito mais preparados para lidar com o mercado de tecnologia da informação, tão dinâmico e competitivo”, afirmou o Secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Sr. Paulo Alvim.

Intercâmbio técnico-cultural

Na China, os estudantes terão oportunidade de trocar e adquirir conhecimentos gerais e específicos na capital Pequim e na sede da Huawei, em Shenzhen. Os jovens poderão entender, experimentar e estudar as últimas novidades tecnológicas no Centro de Treinamentos da sede da Huawei, assim como ver as demonstrações das mais recentes soluções em TIC. Também irão conhecer todo um ecossistema de negócios de uma das mais dinâmicas e modernas cidades da China. Mas a viagem ainda aborda a cultura chinesa, com a oportunidade de conhecer mais sobre arte, caligrafia e monumentos locais, além de aulas em mandarim.

Direto do Brasil: Paixão por games

Um dos participantes brasileiros da edição 2019 é o estudante João Pedro Calazans, de Volta Redonda (RJ). Encantado pelo universo dos games desde que teve seu primeiro contato com um computador, o estudante escolheu se profundar na área e cursa Jogos Digitais, no Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ).

Para ele, “a indústria de jogos no Brasil está em desenvolvimento” e é preciso mostrar a credibilidade e o talento dos profissionais locais para desenvolver a indústria nacional de games. “Para impulsionar o mercado local, preciso adquirir muito mais conhecimento e expandir meus horizontes. A oportunidade de participar do programa Seeds of the Future é um grande passo dentro do meu objetivo”, conta.

João considera que a experiência na China trará muito aprendizado por meio do contato com a plataforma da Huawei, bem como a proximidade com a cultura oriental. Ele julga que o conhecimento adquirido durante o programa será essencial na construção do seu futuro e, consequentemente, deve beneficiar o próprio país ao longo dos anos.

“Uma área em que quero me especializar é a de animação em rigging 3D. É uma satisfação muito grande dar vida aos personagens que integram os games. Hoje, procuramos criar movimentos da forma mais fluida e humana possível”, diz o estudante.

Todos os estudantes chegam na China no dia 15 de julho e retornam ao Brasil no fim do mês, quando poderão compartilhar um pouco mais das experiências vivenciadas.